domingo, 13 de março de 2016

Linhagem de trabalho e linhagem de exposição: quão significantes podem ser as diferenças entre elas?

Mais cedo eu estava aqui, limpando a casa, sem saber o que postar no blog essa semana. Recebi ótimas sugestões mas são temas mais "trabalhosos" e esses eu deixo pra quando tiver mais tempo (e inspiração), que não é o caso de hoje nem dos últimos dias. Almocei e vim ao computador pra descansar um pouco do trabalho braçal quando... tcharam!!! Eis que surge no meu feed do facebook um compartilhamento de um trabalho muitíssimo interessante, tema mais do que oportuno para falar sobre:

Fadel, F. R. et al. Differences in Trait Impulsivity Indicate Diversification of Dog Breeds into Working and Show Lines. Sci. Rep. 6, 22162; doi: 10.1038/srep22162 (2016).

O trabalho pode ser acessado nesse link: http://www.nature.com/articles/srep22162

Pra resumir, vou citar trechos que achei mais relevantes (ao final transcrevi os trechos em inglês):

O estudo avaliou diferenças comportamentais entre linhagens show (de exposição) e de trabalho nas raças Border Collie e Labrador. Ele conclui que as diferenças entre raças são menores do que as diferenças entre linhagens, portanto as diferenças DENTRO da mesma raça são maiores do que as diferenças entre as duas raças. Sendo assim, generalizações baseadas na raça apenas não são apropriadas.

Em relação à linhagem, Border Collies de trabalho apresentaram diferenças de Labradores de trabalho, mas as linhagens show (exposição) das duas raças não tiveram diferenças significativas. Seleção artificial alterada ou relaxada para características comportamentais, quando a aparência ao invés do comportamento torna-se o foco principal para os criadores, pode reduzir diferenças médias de impulsividade entre raças nas linhagens show (de exposição).

Os resultados são consistentes com a hipótese de que a criação de linhagem show (exposição) resulta em uma perda significante da diversidade comportamental tradicionalmente associada a uma raça [...].

É inapropriado fazer previsões sobre a tendência comportamental de um indivíduo canino baseando-se apenas em sua raça.


Os resultados sugerem que, no quesito comportamento, escolher a certa LINHAGEM / LINHA DE SANGUE dentro de determinada raça pode ser mais importante do que escolher apenas pela raça.


Embora o estudo tenha sido feito com as raças Border Collie e Labrador, quem (como eu) já conviveu com exemplares de linhagem de trabalho e de linhagem show, sabe que tudo isso faz muito sentido. E é por isso que a MINHA ESCOLHA hoje é linhagem de trabalho.

Muita gente, ao procurar exemplares de determinada raça, pesquisa apenas preço e/ou aparência (maior, mais fortão, mais escuro), dando pouco ou até nenhum valor pro comportamento/temperamento.

A grande maioria dos criadores, por sua vez, descreve seus cães como possuidores de "excelente temperamento". Excelente pra que? Excelente pra quem?

Não foram poucos os que nos procuraram decepcionados com o temperamento de exemplar adquirido de outro canil. Esses normalmente chegam querendo o filhote de temperamento mais forte... só que nossa seleção é focada em temperamento e criamos exclusivamente com linhas de trabalho, completamente diferente da seleção feita e linhagem usada pela maioria dos criadores. Então nossos filhotes mais "fracos" muitas vezes se mostram muito melhores no quesito comportamento/temperamento do que o dito "melhor" (de temperamento) de outra criação, claro, quando o objetivo do proprietário inclui habilidade para o trabalho.

Como bem cita o estudo que originou essa postagem, as diferenças entre o temperamento/comportamento de cães de linhagens de trabalho e show da mesma raça são muito grandes, parecem mesmo raças diferentes.

Cão perfeito em todos os quesitos e pra todos os gostos NÃO EXISTE. Existe sim, cão perfeito pra determinado dono ou determinada função/finalidade. O que o criador x considera perfeito pra ele, pode ser interessante mas não ideal na opinião do criador y, mas péssimo pra mim, e vice-versa.

Por isso é muito importante pesquisar e principalmente saber o que você procura. Quem sabe o que procura não se baseia apenas em opiniões, mas consegue distinguir o que procura e o que não procura com os próprios olhos. Até porque opinião é algo muito pessoal. Cada pessoa tem uma opinião e entendimento das coisas conforme as experiências já vividas. Formamos nossas opiniões e fazemos escolhas baseadas basicamente nas nossas referências, referências essas que dependem das experiências vividas e da forma como foram assimiladas. Nem todo mundo (na verdade acho que quase ninguém) consegue adquirir boas referências e olho crítico "de longe", apenas assistindo a vídeos e lendo textos (ahhh os teóricos... hahaha). Sem praticar, sem acompanhar de muito perto, sem sentir na pele, é impossível aprender certas coisas --- e conheço gente que nem assim consegue "captar a informação". Desconfie de quem opina sobre algo que nunca fez, talvez essa pessoa nem saiba exatamente do que você está falando (mas se você também não souber, complica né?) ou de quem opina sobre o que nunca teve (soube de vários casos em que falaram mal de cães de linhagem de trabalho, pessoas que nunca conheceram um sequer, quem dirá um número decente pra se formar opinião....).

Tenha ciência de que não é simplesmente por ser um Dobermann (ou qualquer outra raça "de guarda"), que será um bom cão de guarda. Além da escolha (é preciso avaliar cada indivíduo pois, na prática, generalizações não são confiáveis) e do manejo adequados, a genética (linhagem) tem papel muito importante no que se refere ao potencial do indivíduo.

Enfim, esse era o recado que eu queria dar.
Até semana que vem!

----


"We found that differences between the breeds Border Collies and Labrador Retrievers are smaller than the differences between their show and work lines. Although the statistically significant differences were based on small effect sizes, the fact that the differences WITHIN breeds exceed the differences BETWEEN breed is important given practical and legal implications of breed stereotyping. Our results show that generalizations based on breed are not appropriate."

"Regarding line, working Collies differed from working Labradors, but show lines from the two breeds were not significantly different. Altered or relaxed artificial selection for behavioural traits when appearance rather than behaviour become the primary focus for breeders may reduce average differences in impulsivity between breeds in show lines."

"These results are therefore consistent with the hypothesis that the creation of a show line results in a significant loss in behavioural diversity traditionally associated with a particular breed with regards to work related behaviour."

"is inappropriate to make predictions about an individual dog’s behavioural tendency solely based on its breed"

"Our results suggest that choosing the right line of dog within a breed may often be a more important factor when considering behaviour."

Fadel, F. R. et al. Differences in Trait Impulsivity Indicate Diversification of Dog Breeds into Working and Show Lines. Sci. Rep. 6, 22162; doi: 10.1038/srep22162 (2016).

http://www.nature.com/articles/srep22162

---

4 comentários: